A Rede Social – o livro, o filme e o quanto vale a pena assisti-lo

Finalmente, nesta semana, estreia o tão falado “filme do Facebook“. Quando eu soube que iriam produzir um filme sobre a rede, ainda pouco utilizada aqui no Brasil, fiquei curiosa. O que poderia haver de tão interessante no nascimento de um site?

Mais tarde eu descobri que há muita coisa por trás do nascimento do Facebook. No começo desse mês descobri o livro “Bilionários por Acaso“, que nada mais é do que a própria história do filme. Comprei e devorei-o, na ânsia de lê-lo completamente antes da estreia do filme, já que as obras originais são sempre melhores do que as adaptações para o cinema.

Sorry, Steve, mas te troquei por esse rapaz de 26 anos.

Tanto o livro quanto o filme são contados pelo ponto de vista do brasileiro Eduardo Saverin, que começa em Harvard sedento pelas possibilidades que a faculdade oferece. Lá, ele conhece Mark Zuckerberg, o jovem antissocial, porém muy talentoso. É esse talento e a inabilidade social de Mark que o direcionam para a criação do Facebook.

Foto real de ambos em Harvard: à esquerda, Eduardo e à direita, Mark.

Mas engana-se quem pensa que o talento é a única fonte para um produto bem sucedido. A grande polêmica em torno do Facebook é por conta dos gêmeos Winklevoss, que deram de presente à Mark a ideia para tornar o site algo muito popular. Uma ideia simples, que hoje em dia é comum para nós: transferir a vida social física para o digital. Essa é a substância do Facebook.

E o filme tem todo o drama, polêmica e a genialidade necessárias para ser um sucesso. Confesso que já dei uma espiada em sneak peaks do filme e por mim já está aprovado. O Mark das telonas é interpretado por Jesse Eisenberg (Zumbilândia), o charmoso ator que é a cópia crescida de Michael CeraEduardo Saverin é o jovem Andrew Garfield (O Mundo Imaginário do Doutor Parnassus e O Espetacular Homem-Aranha) e como se precisasse, ainda temos Justin Timberlake, como o sedutor Sean Parker, criador do Napster, simplesmente o programa que permitiu a criação do compartilhamento de músicas há anos atrás (ironia, oi?).

Sei que para muitos de nós o Facebook ainda não é a rede social mais utilizada, mas lá fora ela é predominante. Um vídeo que mostra muito bem isso é esse abaixo, incompleto, infelizmente, já que o original foi removido por direitos autorais. Mas vale a pena assistir e ver como é possível contar uma vida através do Facebook. ;)

E você, já curtiu o LecaMarriot por lá? ;)

10 comments Write a comment

  1. Todo o “bafafá” sobre este fucking personagem-real acaba criando uma certa espectativa.

    Admirava demais o Mark Zuckerberg como persona, após assistir o filme pude notar o quão “pau no cú” ele se transformou após o sucesso subir a sua cabeça.

    Me lembrou muito “Piratas do vale do Silicio”, um filme que assisti umas 20 vezes (:

    Abraços, Marquinhos.

    []’s
    M!

  2. Menina, já certo.. vou assistir esse filme no sábado. Estou esperando pelo filme faz tanto tempo, e aprece que nunca chega aqui em Brasília huahuahua, mas finalmente chegou ;D

    Ahh quero ler o livro tb… vou procurar depois.

    Obs: Eu amo o Jesse Eisenberg ♥

    bjus

  3. Pingback: Ser nerd está na moda e também no mundo animal

  4. Pingback: O pet do Zuckerberg

  5. Pingback: O trailer final legendado de “O Espetacular Homem-Aranha”

  6. Pingback: Woody Allen, Penelope Cruz e Roma: é o trailer de To Rome with Love

  7. Pingback: Para Roma com Amor: o bom humor de Woody Allen de volta ao cinema

  8. Pingback: O Steve Jobs de Aaron Sorkin.

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.