Amor à distância, eu já tive um.

Parece que é regra: bons filmes sempre demoram décadas para estreiar! Este é o caso de Amor à Distância, uma comédia romântica cujo trailer me cativou instantaneamente. Estrelando Drew Barrymore (As Panteras) e Justin Long (Herbie), ele só desembarca aqui dia 10 de Setembro.


O filme, como o próprio nome já diz, é sobre um casal que se relaciona à distância. E o mais bacana disso tudo é que ele mostra todos os detalhes e percalços de uma relação desse tipo de maneira bem atual, com tentativas fracassadas de sexo pelo telefone, abraços na rodoviária e aquela chatice que só quem participa é que entende, de ficar trocando SMS quando todo mundo ao seu redor está fazendo alguma coisa.

A minha identificação com esse filme foi imediata porque eu já tive dois relacionamentos à distância e sei exatamente o que é tudo isso (ok, menos a parte do sexo pelo telefone, não tenho vocação nem voz para isso…). Essa vontade louca de querer viajar imediatamente para onde a pessoa está e ficar trocando SMS só para saber o que ela está fazendo.

O filme também fala sobre a questão da insegurança de não ter a pessoa ao seu lado e a fala de uma das personagens (“E se ele estiver transando com metade da cidade agora?”) eu já ouvi, do mesmo jeitinho! Mas uma coisa que ninguém parece se lembrar nessas horas é que mesmo morando no mesmo Estado ou cidade as pessoas ainda traem. Então a distância é só mais um fator de risco para um relacionamento, tal qual ciúmes, inveja, insegurança, interesses, quer dizer…

Hoje em dia, sou uma feliz participante de um relacionamento estável que começou à distância (ele era de Curitiba e se mudou para São Paulo). Se a vida melhorou depois que a distância diminuiu? Mas é lógico! Agora quando bate a saudade, em uma horinha estamos juntos (em contrapartida das seis horas que nos separavam antigamente). Mas sendo bem realista, não será isso que nos manterá juntos. Fisicamente até que sim, mas sentimentalmente, vai depender só de nós dois, de algo muito além da geografia, se é que vocês me entendem ;)

3 comments Write a comment

  1. Depois o povo não quer que baixa! Quando sair no cinema já até esqueci que quero ver (memória de peixe!)

    E odeio esses comentários como o que você falou, tem gente que não se toca, adora ver o circo pegar fogo! Acho tão fácil ter traição se a pessoa mora em cidades diferentes ou na mesma rua! Mas como namoro a distância não é tão comum causa todo esse bafafa!

    Beijo

  2. Pingback: Leca Marriot » Vem por aí: Amor à Distância

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.