Esmalte da vez + o relato de uma iniciante

Não sei se eu já comentei com vocês antes, mas eu sou uma negação para fazer a própria unha. Por praticidade e qualidade, eu sempre preferi pagar uma manicure para fazê-las em vez de ter este trabalho. Pois bem. No momento em que a necessidade aperta de um lado e o faniquito de trocar de esmalte a toda semana (afinal, se você compra 200 esmaltes por mês, você PRECISA usá-los, não é? – mentira, eu não compro nem um terço disso, viu?) aperta de outro, você acaba se rendendo.

E foi por estes motivos que eu comprei meus apetrechos simples (foto abaixo), segui um tutorial básico da metodologia (que depois de fazer a unha um milhão de vezes você acaba pegando por osmose), e mandei ver.

Os apetrechos de quem começou a brincar agora.

1. Acetona, fundamental, embora seja considerada “mais agressiva”. 2. Algodão, ainda sem um potinho delicado para guardá-lo. 3. Base da Risqué, fortalecedora (funciona, viu? Minhas unhas nunca estiveram tão grandes e resistentes!). 4. Esmaltes para se esbaldar. 5. Palito de laranjeira para tirar os cantinhos, esses não vão durar muito, pelo visto… 6. Espátula para empurrar a cutícula antes de tirá-la (embora exista quem seja contra esse método também). 7. Alicate, o dito-cujo para se livrar da cutícula (comprei um kit da Sandy, hehe.) Faltou aí o creme para amolecer a cutícula, que na verdade ainda não comprei, estou usando creme hidratante normal mesmo por enquanto.

O resultado? Demora, refação e persistência. A mão direita é um infeeeerno, eu não tenho um pingo de coordenação motora com a mão esquerda, mas sinto que com essa prática vou conseguir exercitar e melhorar isso. Rolou até um pedido de socorro durante o processo para o namorado, mas ele está ainda muito atrás de mim no quesito destreza, então, deixa para lá. 8)

Longe de estar perfeito, segue o resultado da experiência com o Mascavo da Colorama (ganho da sogra, diga-se de passagem) + uma camada de Reflexos Furta-Cor da Colorama que mal aparece na foto. Mesmo que não tenha ornado muito bem, sou apaixonada por essa coleção de reflexos e fico usando compulsivamente!

Preciso deixar uniforme o formato da unhas (o indicador, coitado, destoa das outras enormes), aprender a limpar melhor os cantinhos (óbvio que eu tinha que começar por um esmalte escuro suuuper fácil de limpar, né?) e uma série de outros detalhes, maas, a prática faz a experiência e eu adoraria que vocês, iniciantes ou experientes, compartilhassem comigo informações a respeito do início da jornada de vocês, para eu poder saber se sou a única que via isso como um bicho de sete cabeças, haha. 8)

2 comments Write a comment

  1. Fica menos dificil com o tempo, eu tô apelando para a tecnica do hidratante que contei em um post. Ah, os esmaltes da Hits são mais caros mesmo (acho o cumulo, a durabilidade nem é tuuuudo isso, e fazneod contas de tamanho do vidro e preço, Impala sai quase metade do preço!), mas para aquelas cores que deixam a gente doente de vontade, a Sumirê tá começando a vender agora.

    Beijo

  2. A minha técnica de gente preguiçosa, acho q sou eu faço isso, mas tdo bem, é a seguinte: Para limpar os dedos do esmalte, na hora de passar, use o palito para empurrar o esmalte pro dedo e depois que secar o esmalte tome um banho, deixe o dedo bem gordinho, da umidade da água, e tire com a própria unha o esmalte. Até que sai fácil, mas tem q tá seco e tomar cuidado com a força, pra não tirar o esmalte da unha.

    Não sei se isso é bom ou ruim, mas pra mim é mais fácil hihihi

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.