Overdose em 3D

Recebemos este jornalzinho da MTV lá no Itaim um dia desses e na hora me veio à cabeça um pensamento que já martelava desde que assisti Fúria de Titãs: esse pessoal não está exagerando demais no 3D, não?!

Jornal + óculos 3D. Tendência ou exagero?

Confesso que ainda não parei para ler as matérias do dito-cujo do jornal (aliás, alguém me dê uma bronca, por gentileza? Eu era uma excelente leitora, mas decaí tristemente de uns tempos pra cá…), mas fiquei me perguntando qual a necessidade de se fazer um jornal em 3D? Lógico que atrai a atenção, já que o 3D é uma coisa meio que “nova” ainda, mas francamente, ler em 3D dá dor de cabeça! Eu não sei vocês, mas eu quase explodi de enxaqueca em Avatar lendo aquele bando de legendas flutuando por três horas. Tá, tudo bem que as matérias são poucas e a ênfase é para as propagandas, mas ainda assim, o propósito de um jornal ainda é a leitura.

Fúria de Titãs em 3D. Note que a chamada do 3D já aparece como apoio ao slogan do filme.

E não falo só de textos, caímos num excesso do 3D no geral, por exemplo, em Fúria de Titãs, filme, que eu, particularmente, amei (mitologia é um dos meus vícios!), mas em que achei que o 3D mais atrapalhou (afinal, alguém acha aqueles óculos confortáveis?) do que acrescentou em algo. O filme já possuía diversos efeitos especiais absurdamente incríveis, então, o 3D meio que sumiu perante aqueles monstros gigantescos ou aquele pégaso adoravelmente plausível.

Apesar de tudo, eu sou a favor do 3D, mas, lógico, desde que o seu uso seja justificado. Faço questão, por exemplo, de ver Toy Story 3 em 3D pois já vi, pelo trailer, que o recurso foi bem explorado. Por mais piegas que esta frase soe, não consigo negar, o 3D dá magia às coisas, e adventos como o Nintendo 3DS (outro bom exemplo), que aboliu o uso dos óculos para os jogos em 3D, só me faz esperar por incríveis reviravoltas dessa tecnologia.

1 comment Write a comment

  1. Eu particularmente acho que o 3D é um novo recurso e aparece de forma abusiva justamente por causa disso.
    ODIEI Avatar, achei a história péssima, mas as imagens eram lindas. Ou seja, aquele filme sem conteúdo poderia ser reduzido de 3h para 30min só tirando as cenas desnecessárias queforam estendidas e muito exploradas por causa do 3D.
    O roteiro foi esquecido e a imagem foi hipervalorizada por causa desse novo recurso que hollywood ainda não aprendeu a usar na dose certa, tenho esperança que logo, depois que 3D virar carne de vaca, que voltem a valorizar o roteiro como diferencial.

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.